Rainha da Paz

História

A fundadora Maria Regina Sigaki chegou ao Jd. São Luís (Sp – Brasil) em 1988, após verificar que era uma das regiões mais pobres da cidade, com o intuito de empreender sua vida para ajudar quem mais precisava. Tudo se iniciou com a conquista da confiança da comunidade, por meio da reivindicação dos direitos básicos dos moradores, como o asfaltamento das ruas, a coleta de lixo, a distribuição de cestas básicas, a instalação de hospitais e escolas nas comunidades do bairro. Em seguida foi preciso realizar um mapeamento dos principais problemas sociais a serem resolvidos e foi possível observar uma dura realidade: violência nas ruas, tráfico de drogas, abandono por parte dos órgãos governamentais, fome, falta de educação, saúde e cultura de qualidade. Após trinta anos de história, o impacto social já é notado e a presença da instituição se mescla com a vida dos moradores. O sonho concretizado na Associação Rainha da Paz possui um atendimento mensal de 2.500 famílias por meio de 15 Núcleos de Trabalho de Educação e Ação Social que permitem o desenvolvimento humano e social dos moradores da região, gerando oportunidades de crescimento contínuo segundo nossa metodologia de trabalho. Agora, no início da quarta década de trabalho, buscamos acima de tudo a qualidade e profissionalismo em nosso atendimento e ambiente de trabalho!

Jd. São Luís

Área: 24 km²
População: 267.871 hab. (2010)
Renda média: R$ 806,65
IDH: 0,798 – médio (75°)
Subprefeitura: M’Boi Mirim
Região Administrativa: Sul
Área Geográfica: 7

Metodologia

Buscamos a transformação das comunidades onde atuamos levando em conta cinco grandes áreas de trabalho em cada um dos quinze programas que existem na Associação Rainha da Paz: educação, saúde, cidadania, renda e moradia. Assim, esses programas atendem a Família como um todo, contemplando todas as faixas etárias possíveis e suas respectivas demandas.

Por meio dessa visão integral, que considera o contexto total onde cada indivíduo se encontra, é possível oferecer um atendimento humanizado e as ferramentas necessárias para que cada família empreenda a sua própria jornada de transformação, uma vez que possuem o caminho aberto para desenvolver todas as suas potencialidades, contribuindo para a sociedade.

Dessa forma, a associação se torna um espaço de encontro e de aprendizagem, onde os atendidos e todos os stakeholders compartilham uma convivência rica de troca de experiências e crescimento mútuo.

Missão

“Promover o desenvolvimento humano por meio do atendimento às necessidades básicas e da transformação social pela educação, capacitação profissional e de atividades culturais; oferecidos às famílias das comunidades da Zona Sul da Cidade de São Paulo, visando a valorização do ser humano e a melhoria da qualidade de vida.”

Visão

“Ser modelo de organização social para o profissionalismo no trabalho pelo desenvolvimento humano das comunidades em situação de vulnerabilidade.”

Valores

Amor; Responsabilidade; Transparência; Comprometimento; Humildade; Perseverança.

Pilares

Atendido é protagonista e prioridade da ação social.
Família é parte essencial do processo de transformação.
Colaboradores recebem formação continuada e apoio institucional.

Envie-nos uma mensagem